Dica: Um lugar ao sol (2009)

Um lugar ao sol (2009) é mais que um documentário para nos fazer pensar questões urbanas. De imediato, surpreende por não tratar direta ou indiretamente sobre populares, nem sobre temas como violência urbana, exploração ou corrupção policial. O caminho é outro, convergindo nossas expectativas para situações e percepções pouco apresentadas. Continuar lendo

Planejamento e Gestão da cidade

Um trecho interessante do livro “Mudar a cidade: uma introdução crítica ao planejamento e à gestão urbanos”, de Marcelo Lopes de Souza. O autor diferencia planejamento de gestão a partir dos referenciais temporais de cada termo.


Continuar lendo

Despejo forçado em Itabira (via Liberdade de Expressão e Comunicação)

Compartilho com vocês o texto do Frei Gilvander Luís Moreira sobre o despejo forçado em Itabira/MG de cerca de 300 famílias. Não me surpreende que os proprietários do terreno que entraram na justiça contra os populares possuam dívida de 1 milhão em IPTU e que o poder públic não tenha feito nada. O que torna a situação ainda mais cruel é a imagem do “abrigo” oferecido pelo prefeito João Izael do PR: cubículos de madeirite com 3 X 4 metros.
A situação da habitação no Brasil é sempre pior do que podemos imaginar…

Despejo forçado em Itabira: terrorismo do Estado As bananeiras, as mangueiras, as hortas, os jardins, as casas, os sonhos… Tudo foi arrancado para ceder lugar a um bairro nobre Agosto de 2011 – Postado: Brasil de Fato Gilvander Luís Moreira Nos dias 1º e 2 de agosto de 2011, em Itabira, MG, Brasil, no bairro Drummond, 300 famílias sem teto que ocupavam, há 11 anos, uma área abandonada, que não cumpria a função social, foram vítimas de um despejo forçado. A família Rosa, que ganhou na (in)just … Read More

via Liberdade de Expressão e Comunicação

Etiquetado , ,

“Realengo, aquele desabafo!”: ótimo documentário sobre política de reassentamento de favelas (via Blog da Raquel Rolnik)

Acabei de ver o pequeno documentário “Realengo, aquele desabafo!”, realizado por uma equipe de pesquisadores do Observatório das Metrópoles. O vídeo trata do processo de reassentamento de famílias moradoras de assentamentos informais e áreas de risco no Rio de Janeiro.

Rebloguei todo conteúdo do Blog da Raquel Rolnik que também comenta as remoções ocorridas por causa de mega eventos como a Copa do Mundo.

Leia e assista o documentário:

"Realengo, aquele desabafo!" é um interessante documentário sobre a política de reassentamento de favelas. O filme mostra o processo de reassentamento de 598 famílias moradoras de assentamentos informais na cidade do Rio de Janeiro. Parte das famílias saiu de ocupações e favelas em bairros como Copacabana, Madureira e Olaria; outra parte eram vítimas dos desabamentos no morro do Urubu, no bairro de Pilares. Todas elas foram morar a cerca de 25km … Read More

via Blog da Raquel Rolnik

Etiquetado , , , , , , , ,

“Populares na cidade: vivências de trabalho e lazer” disponível por R$20,00

Estou com algumas cópias do livro “Populares na cidade: vivências de trabalho e lazer”, que saiu pela editora Ideia, de João Pessoa (PB). A publicação traz seis artigos que abordam experiências diversas relacionadas ao trabalho e ao lazer no espaço urbano. Belém, Teresina, Fortaleza, Campina Grande, Aracajú e Belo Horizonte são as cidades abordadas por oito autores a partir de diferentes fontes e perspectivas teórico metodológicas como uso de relatos orais, da literatura, das fontes hemerográficas, judiciais e oficiais do poder público.

Eu contribuí com o artigo “Praça Sete de Setembro: os populares no espaço público e a construção de lugares identitários em Belo Horizonte”, que é o última publicação feita a partir das pesquisas que realizei na graduação sobre a Praça Sete de Setembro, em Belo Horizonte.

O livro pode ser adquirido por R$20,00 pelo email oliveirahcp@gmail.com ou veclanu@yahoo.com.br (as despesas com correio estão incluidas no valor)

Nota sobre o XXIV Simpósio Nacional de História

Estive presente no XXIV Simpósio Nacional de História que aconteceu na USP entre os dias 17 e 22 de julho. O evento recebeu mais de 6 mil pessoas, e também celebrou os 50 anos da Anpuh (Associação Nacional de história).

Historiadores do Brasil inteiro distribuídos em quase 130 simpósios temáticos complexos e variados apresentaram e discutiram seus trabalhos mais atuais.

Minhas impressões são positivas. Não participei de todas as atividades do evento pois várias aconteciam ao mesmo tempo, mas posso dizer que foi difícil escolher entre muitos simpósios e conferências relevantes.

Nos próximos dias pretendo iniciar uma série de postagens sobre o simpósio temático que participei, chamado MULTIPLICIDADES: HISTÓRIAS E MEMÓRIAS DAS TRANSFORMAÇÕES URBANAS NO BRASIL CONTEMPORÂNEO, coordenado pelos professores ANTONIO CLARINDO BARBOSA DE SOUZA (UFCG) e LUIZ FELIPE FALCÃO (UDESC)

Veja a lista de conferencistas Continuar lendo

Apoio ao Duelo de MCs em Belo Horizonte

“Prezados amigos e parceiros,
Como é do conhecimento de vocês, há quatro anos o Coletivo Família de Rua realiza o Duelo de MC’s embaixo do Viaduto Santa Tereza, no Centro de BH.

Desde a primeira edição do Duelo, até hoje, diversas vezes a Família de Rua solicitou junto ao poder público de Belo Horizonte a parceria para melhorias e soluções estruturais de organização e segurança no espaço que considerem o contexto do Duelo de MCs. Mesmo depois de realizar várias reuniões e firmar diferentes acordos com as instituições responsáveis pela gestão da cidade, as demandas não foram atendidas.

No último dia 29 de junho a Família de Rua foi convocada para uma reunião junto à Regional Centro-Sul e a Polícia Militar de Minas Gerais. Nesta reunião foi solicitada a imediata suspensão do Duelo de MCs e ainda uma possível transferência do encontro para um local fechado ou outros espaços de Belo Horizonte. A alegação foi de que o espaço embaixo do viaduto Santa Tereza não comporta mais o público crescente. Continuar lendo

Etiquetado

Praça de São Francisco (SE), Patrimônio Cultural da Humanidade

Saiu no portal da Revista de História a noticia de que a comunidade de São Cristóvão, no Sergipe, recebeu o Diploma de Patrimônio Cultural da Humanidade, que tinha sido conferido à Praça de São Francisco em agosto do ano passado pela Unesco.

O artigo chama atenção para a singular a fusão das influências das práticas urbanísticas espanhola e portuguesa na formação de núcleos urbanos coloniais. Cabe destacar que as principais referências de configuração de praças públicas na cultura ocidental são a piazza italiana, a Plaza mayor espanhola e a place royale francesa dos séculos XVII e XVIII. Com características funcionais bem diferentes, delas derivou o square inglês no século XIX. No século XX, os parks também têm destaque pela sua singularidade entre as características funcionais do espaço e da vida cultural urbana norte americana. Continuar lendo

Desalojamentos forçados em BH para Copa do Mundo? não…

“Estou particularmente preocupada com o que parece ser um padrão de atuação, de falta de transparência e de consulta, de falta de diálogo, de falta de negociação justa e de participação das comunidades afetadas em processos de desalojamentos executados ou planejados em conexão com a Copa e os Jogos Olímpicos” – Raquel Rolnik (fonte)

Continuar lendo

Etiquetado

GlobalRevolution – 19 de junho nas praças do mundo (via Terrorismo Branco)

Repasso a convocatória para #Globalrevolution via Terrorismo Branco. A iniciativa me lembrou a Ação Global dos Povos (AGP) que também sacudiu o mundo enquanto durou. Desta vez, a proposta é ocupar pacificamente (significa sem black bloc!) as praças públicas, criando espaços de encontros e reflexão. Vamos trazer a idéia para nossas vidas, nosso cotidiano, sem esquecer que discurso revolucionário não é a revolução, nem faz a revolução.

Não vamos nos esquecer que dia 18 de junho tem Marcha Nacional da Liberdade.

GlobalRevolution – 19 de junho nas praças do mundo takethesquare.net Somos os indignados, os anônimos, os sem voz. Estávamos em silêncio mas escutando, observando. Não para olhar para cima, onde estão os que ficam com as rendas do mundo, senão para os lados, onde estamos todas e todos, procurando o momento para nos unir. Não nos representam partidos, associações ou sindicatos. Também não queremos que seja assim, cada qual representando a sí mesmo. Queremos pensar entre todos como criar um mundo o … Read More

via Terrorismo Branco

Etiquetado ,