Violência no Aglomerado da Serra

Duas mortes desencadearam a revolta dos moradores do Aglomerado da Serra. A polícia declarou, num primeiro momento, que as fatalidades ocorreram após troca de tiros com traficantes. A versão mais convincente dos fatos é a dos moradores que reivindicam justiça após o ocorrido. Segundo eles, os policiais estavam no local para receber propina de traficantes e dispararam contra inocentes. Digo que é a versão mais convincente porque os erros nas ações policiais não são nenhuma novidade no país, e a polícia cada vez menos se mostra a serviço do povo de aglomerados e favelas.

Assistindo pela televisão uma reportagem sobre a repercussão das duas mortes não pude deixar de pensar nos relatos de moradores do aglomerado que conheci na última década. Violência e agressão, presentes na minha memória sobre a fala de cada um deles, são medidas inerentes ao discurso de segurança pública promovido pelo Estado. Não quero “vitimizar as vítimas”, mais quais os critérios das polícias quando invadem as favelas, quando abordam as pessoas?

E os policiais corruptos? Serão tutelados pela PMMG e pelo Governo do Estado? Haverá investigação?

Uma ótima reflexão sobre o assunto foi publicada no Praça Livre. Leia!

 

Anúncios
Etiquetado , ,

2 pensamentos sobre “Violência no Aglomerado da Serra

  1. Antonio Cosme disse:

    Concordo com o seu artigo Carlão. Somente tendo contato com as pessoas envolvidas nestes fatos, para entender as barbáries de tais incursões.

  2. BIANCA RAFAELA REIS PASSOS disse:

    EU VIBO NO AGLOMERADO EU MORO AQUI NA SERRA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s